Por melhores condições de trabalho e aumento real, bancários intensificam greve; 1.579 agências paralisadas na base

27.09.2013

Se a Fenaban se mantém irredutível e diz não às reivindicações dos bancários por aumento real, valorização do piso e da PLR e melhores condições de trabalho, a categoria mostra que essa campanha não terminará sem que essas demandas sejam atendidas e fazem uma das maiores paralisações dos últimos anos. Nesta sexta-feira, 27, nono dia […]

Se a Fenaban se mantém irredutível e diz não às reivindicações dos bancários por aumento real, valorização do piso e da PLR e melhores condições de trabalho, a categoria mostra que essa campanha não terminará sem que essas demandas sejam atendidas e fazem uma das maiores paralisações dos últimos anos. Nesta sexta-feira, 27, nono dia da greve nacional, foram paralisadas no país 10.633 agências. Na base da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, o número de postos de trabalho fechados foi de 1.579.

Reunido em São Paulo no dia 26, o Comando Nacional dos Bancários reafirmou a rejeição da proposta apresentada pela Fenaban e disposição em retomar as negociações. “Enviamos carta à Fenaban dizendo que sempre estivemos abertos às negociações e que a greve é culpa dos bancos”, afirma o representante da Feeb SP/MS no Comando, Cido Roveroni. Ele completa que “essa intransigência dos banqueiros e proposta de reajuste que só repõe a inflação causa cada vez mais indignação nos bancários. Os bancos dizem que não podem conceder aumento real, mas tiveram no primeiro semestre desse ano os maiores lucros da história. É possível melhor proposta, sim”, conclui Cido.

Além de melhores salários, a categoria luta ainda por melhores condições de trabalho e denuncia a irresponsabilidade social dos bancos, especialmente os privados, que, na contramão da economia brasileira, geradora de 1,07 milhão de novos empregos de janeiro a agosto deste ano, cortaram 6.987 postos de trabalho no mesmo período, precarizando o atendimento à população, aumentando as filas e a sobrecarga de trabalho dos bancários.

Veja aqui a íntegra da carta do Comando enviada à Federação dos Bancos.

Veja a evolução da greve na base e no país:

Para ver outras notícias da Campanha Nacional 2013, clique aqui.
 

Crédito foto da home: Júlio César Costa – Seeb Campinas
 

Notícias Relacionadas

Bancários negociam com Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (27)

Temas Emprego e Terceirização são os primeiros temas a serem discutidos A Campanha Nacional do Bancário, iniciada na última semana, segue hoje (27) com mais uma negociação. Federações, associações e representação sindical negociam com a Federação Nacional dos Bancos as pautas “Emprego e Terceirização”. Os temas foram definidos pelo Comando Nacional dos Bancários na última […]

Leia mais

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Sindicatos filiados