Prefeitura de Ribeirão vai cobrar R$ 8 mi de bancos

19.02.2014

Jornal A Cidade – Cristiano Pavini A Prefeitura de Ribeirão Preto vai cobrar aproximadamente R$ 8 milhões em multas das agências bancárias do município. Desse total, R$ 7,4 milhões são referentes ao descumprimento na construção de biombos – o restante é por demora nas filas do atendimento. Segundo a Secretaria da Fazenda, os valores estão […]

Jornal A Cidade – Cristiano Pavini

A Prefeitura de Ribeirão Preto vai cobrar aproximadamente R$ 8 milhões em multas das agências bancárias do município.

Desse total, R$ 7,4 milhões são referentes ao descumprimento na construção de biombos – o restante é por demora nas filas do atendimento.

Segundo a Secretaria da Fazenda, os valores estão sendo inscritos na dívida ativa. O A Cidade apurou que, até o final do mês, ao menos R$ 6 milhões serão cobrados por meio de protestos em cartório.

O restante, ainda em fase de recurso administrativo, deve ser incluído na dívida ativa no mês que vem.

Alguns gerentes, entretanto, afirmaram que nesta terça-feira (18) já foram notificados das cobranças.

As multas são resultado da atuação do Procon de Ribeirão Preto.

Desde que a Lei dos Biombos foi regulamentada, em julho de 2012, o órgão passou a fiscalizar se a divisória – que protege a intimidade dos clientes – estava instalada.

Segundo Paulo Garde, chefe do Procon, todos os bancos se adequaram rapidamente, com exceção das agências do Itaú e Bradesco. Até o fim do ano passado, esses locais foram autuados e multados.

“Hoje, todos esses bancos se adequaram”, diz Garde, ressaltando que os biombos reduziram a quantidade dos crimes de “saidinha do banco”.

As agências do Itaú e Bradesco terão que pagar as multas do período em que, segundo o Procon, estavam irregulares. Ainda cabe recurso na Justiça. A arrecadação será revertida para o próprio Procon.

Espera

Somente nesta terça, 15 agências bancárias foram autuadas por demora nas filas. A lei estipula espera máxima de 15 minutos em dias normais e meia hora em vésperas de feriado e pagamento.

Garde orienta que o usuário guarde a senha com a hora de entrada e peça para autenticar quando for atendido, o que comprova o tempo de espera.

Bancos dizem que se adequaram

Em nota, o Itaú disse que “tem, por política, adequar as agências às leis municipais, inclusive com a instalação de biombos em todos os pontos de atendimento de Ribeirão Preto e tempo de espera em fila.”

Sobre as multas, o banco diz que “já tomou as medidas judiciais cabíveis para demonstrar que não houve irregularidades.”

O Bradesco diz que não vai comentar as multas, pois “o assunto está sub judice”.

Em relação à colocação de biombos, o Bradesco informou que está atendendo a todos os itens de segurança previstos pelas Leis Municipais de Ribeirão Preto”.

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados