Proposta de 6% de reajuste apresentada pela Fenaban é insuficiente

28.08.2012

A Federação dos Bancos (Fenaban) apresentou nesta terça-feira, 28, a sua proposta global: 6% de reajuste (aumento real de cerca de 0,7%) para todas as verbas salariais, inclusive PLR. A negociação trouxe avanços em relação à saúde, segurança bancária e igualdade de oportunidades. Para Aparecido Roveroni, representante da Federação dos Bancários de São Paulo e […]

A Federação dos Bancos (Fenaban) apresentou nesta terça-feira, 28, a sua proposta global: 6% de reajuste (aumento real de cerca de 0,7%) para todas as verbas salariais, inclusive PLR. A negociação trouxe avanços em relação à saúde, segurança bancária e igualdade de oportunidades.

Para Aparecido Roveroni, representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul na mesa, a proposta global apresentada pelos bancos até contempla alguns dos principais eixos da Campanha Nacional, porém, é insuficiente. “Os 6% de reajuste não contemplam valorização do piso da categoria, aumento real e PLR maior”, afirmou.

Em relação a emprego, a Fenaban disse que o tema não deve ser incluído na Convenção Coletiva dos Bancários, podendo constar apenas no ACT – Acordo Coletivo de Trabalho, e deve ser tratado por meio de acordos banco a banco.

Projeto-piloto para segurança bancária

Um dos primeiros temas debatido nesta mesa foi a questão da segurança bancária. Os bancos aceitaram a proposta de instituir um projeto-piloto conjunto para testar medidas de prevenção contra assaltos e sequestros e melhorar a segurança das agências. Eles propõem escolher uma grande cidade e definir um grupo de trabalho com especialistas em segurança e representantes do Comando Nacional e da Fenaban.

Igualdade de oportunidades

A Fenaban se comprometeu também em realizar um novo censo na categoria bancária para avaliar se as medidas em defesa da igualdade de oportunidades, contidas nos planos de ação dos bancos após a divulgação do Mapa da Diversidade, estão produzindo resultados.

Pela proposta dos bancos, o novo censo será planejado a partir de fevereiro de 2013 e aplicado no início de 2014.

Negociações continuam nesta quarta e quinta

As negociações sobre remuneração continuam nesta quarta-feira, 29, às 10h. Aparecido Roveroni ressalta que “é preciso continuar pressionando para que possamos conseguir um reajuste maior. Inclusive, os sindicatos devem prosseguir e intensificar as atividades da Campanha, pois os bancos têm condições de apresentar uma proposta melhor”.

Na quinta-feira, 30, terão continuidade as discussões sobre saúde e condições de trabalho.
 

Notícias Relacionadas

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Negociações entre COE Santander e banco avançam

Esforço dos sindicatos foi fundamental para o avanço de pautas especificas para mulheres Nesta sexta-feira (12), representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander se reuniu com o banco para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico […]

Leia mais

Sindicatos filiados