Retomada da negociação: Momento requer intensificação da greve

20.10.2015

A força da greve envolvendo trabalhadores de instituições públicas e privadas levou os banqueiros de volta à mesa de negociação. Nesta terça-feira (20), às 16h em São Paulo, o Comando Nacional dos Bancários se reúne com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), para tentar novo acordo. Até ontem (19), 2.014 locais de trabalho foram fechados […]

A força da greve envolvendo trabalhadores de instituições públicas e privadas levou os banqueiros de volta à mesa de negociação. Nesta terça-feira (20), às 16h em São Paulo, o Comando Nacional dos Bancários se reúne com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), para tentar novo acordo.

Até ontem (19), 2.014 locais de trabalho foram fechados na base da Federação com a adesão dos bancários à paralisação. Em todo o país foram 12.496 agências e 40 centros administrativos em 26 estados e no Distrito Federal.

O pedido por parte dos bancos para retomada das negociações foi enviado ao Comando no início da noite de ontem, depois de 14 dias de forte paralisação, que contou com a adesão massiva dos trabalhadores, indignados com a vergonhosa proposta apresenta pela entidade patronal no último dia 25/09, que previa reajuste de 5,5% e abono de R$ 2,5 mil, índice abaixo da inflação registrada no período e um abono que tão pouco fará diferença para o trabalhador, uma vez que não se incorpora ao salário.

A reunião poderá se estender para a quarta-feira e não representa o fim da greve, mas o início de um possível entendimento entre os trabalhadores bancários e a Fenaban. O momento é de intensificar a mobilização e a paralisação até que tenhamos certeza de que voz dos trabalhadores foi ouvida e haverá reconhecimento e valorização dos bancários. Uma vez conhecida a proposta dos bancos, os sindicatos deverão realizar assembleias para aprovação ou rejeição.

O que se espera é que a nova proposta considere as reivindicações entregues pela categoria em agosto, contemplando remuneração digna e melhores condições de trabalho, saúde e segurança, com garantia de emprego e mais contratações.
 

 Leia também

Campinas: Greve dos bancários avança e com força

14º dia de Greve e 100% das agências estão fechadas em São José dos Campos e Região

Greve entra no 14º dia, Fenaban segue em silêncio e adesão dos bancários continua crescendo na base da Federação

Notícias Relacionadas

Campanha Nacional: Combate ao Assédio Moral volta a ser negociado com Federação Nacional dos Bancos (Fenaban)

Bancos negam que causa de adoecimento está relacionada à cobrança de metas O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com a Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (15), para mais uma negociação. O combate ao assédio moral foi novamente tema do debate. Apesar de mais uma vez os bancos negarem que a causa do adoecimento […]

Leia mais

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Sindicatos filiados