Reunião com Bradesco aborda diversos temas de relevância para os funcionários da instituição

04.02.2015

No dia 21 de janeiro, aconteceu, em São Paulo, reunião entre representantes das entidades sindicais (Contec, Federações e Sindicatos filiados) e do Banco Bradesco (Diretoria de Recursos Humanos). Nesse encontro foram debatidos os vários assuntos de grande importância para os funcionários do Bradesco. Saúde Bradesco e Saúde Dental Os representantes das entidades sindicais cobraram do […]

No dia 21 de janeiro, aconteceu, em São Paulo, reunião entre representantes das entidades sindicais (Contec, Federações e Sindicatos filiados) e do Banco Bradesco (Diretoria de Recursos Humanos). Nesse encontro foram debatidos os vários assuntos de grande importância para os funcionários do Bradesco.

Saúde Bradesco e Saúde Dental

Os representantes das entidades sindicais cobraram do Bradesco a melhoria da qualidade do atendimento dos planos bem como a ampliação da rede credenciada (hospitais, clínicas, médicos, fisioterapeutas, laboratórios e odontólogos) principalmente nas cidades do interior dos estados, onde há carência de especialistas. O Banco foi lembrado pelos sindicalistas de que a Agência Nacional de Saúde (ANS) exige que os planos mantenham credenciados profissionais em todas as especialidades. O que não vem ocorrendo.

Na questão odontológica, então, a situação é crítica, pois simplesmente não há profissionais credenciados na maioria das cidades médias e pequenas. Os profissionais alegam que os valores pagos pelo plano Bradesco são muito baixos, por isso recusam-se a fazer credenciamento.

Os representantes do Bradesco observaram que foram realizadas reuniões entre entidades sindicais – como a Federação dos Bancários do Paraná e o Sindicato dos Bancários de Goiás – e diretores do Saúde Bradesco, Saúde Dental e Seguradora Bradesco, quando foram definidas ações específicas na região do Paraná, com visitas a credenciados para que se posicionassem se ficam ou saem do plano, eliminando assim credenciados que utilizavam o plano somente para propaganda. O Banco alega que os problemas são diferentes em cada região e que, em razão disso o RH está tratando os problemas por área de jurisdição das Feeb’s junto com a CONTEC e as superintendências do Saúde Bradesco da região jurisdicionada.

Previdência Complementar

A previdência complementar dos funcionários Bradesco, desde setembro de 2014, sofreu algumas alterações. O lado bom é que o funcionário agora pode escolher entre os planos VGBL e PGBL, já que a tributação fará diferença no momento do resgate ou da renda diferida. Importante lembrar que a parte de contribuição da empresa continua sempre PGBL. Ou seja, a tributação no final do plano será sempre sobre os juros e o capital. Foi apresentado pelo Sr. Clodoaldo Fernandes o novo Plano de Previdência Complementar "5 x 4" em substituição ao Plano "4 x 4". As dúvidas sobre a mudança podem ser esclarecidas pelos telefones: 4003-4630 0800-8834630.

Reabilitação profissional

Os dirigentes sindicais reclamaram que o Banco não vem atendendo à reivindicação apresentada na última reunião quanto ao Programa de Reabilitação Profissional. O tratamento dado pelo Bradesco aos empregados que se encontram nessa situação é inadequado, pois o monitoramento é deficiente e os funcionários acabam sendo demitidos em vez de reabilitados. O Banco alega que orienta gestores no sentido de sensibilizá-los sobre a questão humana e que as demissões pontuais devem ser relatadas e justificadas, caso a caso.

Os dirigentes sindicais cobraram do Banco a necessidade de se ampliar essa discussão por se tratar de um assunto muito delicado. Em contrapartida, o banco informa possível mudança no programa de reabilitação no sentido de ter voto do movimento sindical no acompanhamento frente ao reabilitado. Os dirigentes sindicais também reclamaram que o Bradesco é o único Banco que não vem cumprindo a quota do PCD e indagaram seus representantes sobre o motivo desse fato. O Banco tentou justificar essa situação alegando "dificuldades para encontrar no mercado pessoas capacitadas para exercer determinadas funções dentro da instituição".

Extensão do plano de saúde aos aposentados/desligados

Os dirigentes sindicais cobraram – novamente – a continuidade do plano de saúde aos funcionários aposentados e desligados do Banco. Entretanto, o Bradesco entende (lamentavelmente) que o funcionário, ao se aposentar ou se desligar, não tem o direito de optar em manter o plano de saúde, mesmo pagando o seu custo integral (como autoriza norma da ANS). Para o Bradesco, "como se trata de um seguro-saúde e não um plano de saúde e como, assim, não há pagamento de mensalidade por parte do funcionário, não haveria o direito deste em manter a assistência após o rompimento do vínculo empregatício".

Seguro de vida dos empregados

O movimento sindical cobrou alterações urgentes na contratação dos Seguros de Vida em Grupo e o Seguro de Acidentes Pessoais em Grupo, oferecidos aos funcionários no ato da admissão. A cobrança justifica-se em razão de que nenhuma das modalidades atende a necessidade da categoria, já que ambas excluem de suas coberturas o tratamento a DORT/LER (doença recorrente entre bancários), bem como, não contempla a INVALIDEZ PARCIAL.

Portanto, requer-se que as novas apólices incluam coberturas para DORT/LER e para INVALIDEZ PARCIAL. Argumentou-se que o trabalhador, ao se deparar com uma invalidez parcial, e, fazendo jus ao recebimento do sinistro contratado, pode utilizar esse recurso para fazer um tratamento médico mais eficaz e com terapias disponíveis no mercado e que nem sempre são pagas pelos planos de saúde. Dessa forma poderá ter seu problema sanado ou minorado e poder seguir em frente, tanto na sua profissão como na vida em sociedade. O pedido não representa nenhum exagero, eis que já é comum em diversas empresas a existência de seguros com tais coberturas.

O movimento sindical foi contundente: exibiu a apólice que se encontra em poder da Seguradora, demonstrou suas falhas e, apresentou a todos presentes na reunião a Circular 302 da SUSEP que demonstra existir outras coberturas mais vantajosas que as atuais. Tendo em vista que quem paga pelo Seguro é o Bancário, não há que se discutir muito a mudança. O movimento foi Sindical foi claro “da maneira que está não serve aos nossos interesses” se as alterações não foram feitas poderemos até mesmo instruir aos Bancários o cancelamento dos Seguros.

Pessoas com deficiência

O movimento sindical cobrou do Banco uma explicação para o baixíssimo número de funcionários com deficiência nos quadros da empresa. Hoje o Bradesco é o único Banco que não tem em seus quadros a quantidade de pessoas com deficiência exigida por lei. Considerando que a lei que trata do assunto é de 1991, houve tempo mais do que suficiente para o banco adequar-se a tal exigência, tanto que os demais bancos já encontram-se com as cotas atingidas, conforme dados fornecidos pelo Ministério do Trabalho, aos quais os sindicatos têm acesso consultados os Bancos.

Os dirigentes observaram que o Banco tem, no total, 81.000 funcionários e destes, apenas 1.561 são portadores de necessidades especiais. Pela lei, o Banco deveria cumprir a cota de 5% do quadro, ou seja, 4.000 funcionários nessa situação.

Seguro de acidentes pessoais e coletivos

Os sindicalistas reclamaram que os contratos/apólices de seguro apresentam cláusulas leoninas quanto à falta de cobertura parcial no caso de invalidez parcial por doença e não atende o Código de Defesa do Consumidor ao não apresentar o contrato ao funcionário quando o mesmo adere ao plano. O Banco discorda alegando que o contrato está disponível na intranet e que irá levar ao conhecimento da diretoria a questão da falta de cobertura por invalidez parcial advinda de doença. A reivindicação do movimento sindical é no sentido de alterar uma das apólices constando a cobertura de invalidez parcial no caso de doença, já que esta cobertura não consta em nenhuma das apólices. Justifica-se o pedido em razão de que, atualmente, os bancários são corriqueiramente acometidos por doenças ocupacionais que deixam graves sequelas (como Ler/Dort) e, nesses casos, ficam sem indenização.

Valor da quilometragem

Os dirigentes sindicais cobraram do banco a atualização dos valores pagos a título de quilometragem aos funcionários que se utilizam do seu veículo para trabalhar que hoje é de 0,65 centavos. O BANCO INFORMOU QUE ESTE VALOR É RESULTADO de um cálculo adotado nos demais setores da economia nacional levando em conta todos os gastos do veículo e mais a depreciação.

Vale Cultura

Os dirigentes sindicais cobraram do banco o pagamento do vale cultura a todos os funcionários. O Banco alegou que vai manter o que estabelece a lei.

Considerações Finais

Os representantes das entidades sindicais manifestaram claramente a sua insatisfação com o Bradesco, pois, nas de várias reuniões com a área de RH do Banco foram entregues diversas reivindicações e, no entanto, praticamente nada foi atendido. Nem mesmo o auxílio educação. Outro exemplo negativo é que o Bradesco é o único dentre os maiores do país que não possui parcelamento do adiantamento de férias para os seus funcionários, item que o Banco nega-se a discutir. Não obstante, a COMISSÃO DE NEGOCIAÇÃO DA CONTEC vai ampliar a sua participação nos debates dos temas específicos do Bradesco e deverá agendar nova reunião de negociação para discutir esses e outros assuntos de interesse dos seus funcionários.

Participaram do encontro, representando o movimento sindical: GLADIR ANTONIO BASSO (presidente da Feeb PR/CONTEC); SÉRGIO LUIZ DA COSTA (Presidente do Sindicato dos Bancários de Goiás); JACIRA CARVALHO DA SILVA TORRES (Diretora do Sindicato dos Bancários de Goiás); ERIZETE MARIA DA SILVA (Sindicato dos Bancários do Tocantins); FÁBIO MASSOTE CHAVES (Federação de MG, GO,TO E DF); ALCINO FERREIRA NETO (Federação de SP e MS); SIDNEY BASTIDES (Federação de SP e MS); JOSÉ CARLOS LEOPOLDINO (Sindicato de Maringá); GILSON ROBERTO DOS SANTOS (Sindicato de Foz do Iguaçu); WILSON GRANDE (Sindicato de Varginha); JOSÉ ANTONIO ZANELLA (Sindicato de Araçatuba); ÉMERSON GUIMARÃES (Sindicato de Araçatuba); PAULO PESSOA (Sindicato de Araçatuba); BRENO FERREIRA DE SOUZA (Sindicato de Franca-SP); DENIZAR H. DA PAIXÃO (Sindicato de Franca-SP); ELI R. V. FALEIROS (Sindicato de Franca); LUIZ R. DE FREITAS (Sindicato de São José dos Campos); DENIALDO DE CARVALHO (Sindicato de Santos-SP). Representando o Bradesco: SILVIA EDUARA CAVALHEIRO; CLODOALDO FERNANDES; e HELOIZA SANTOS E. AIRES.

Fonte: CONTEC
 

Notícias Relacionadas

Feeb SP/MS dá posse para nova Diretoria

                Diretoria eleita assume quadriênio 2024/2028 A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) empossou a nova diretoria da entidade, eleita durante o VIII Congresso Interestadual, realizado em março, em São Paulo. A posse foi oficializada no dia 08 […]

Leia mais

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Sindicatos filiados