Seminário da UGT debate os 30 anos de Redemocratização do Brasil

30.04.2015

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) está realizando o Seminário 30 anos de Redemocratização do Brasil, em São Paulo, no Novotel, em Santana. A abertura aconteceu nessa quarta-feira (29), com a presença de mais de 700 sindicalistas de todo o Brasil, do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, e do Trabalho, Manoel Dias. Durante a abertura […]

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) está realizando o Seminário 30 anos de Redemocratização do Brasil, em São Paulo, no Novotel, em Santana. A abertura aconteceu nessa quarta-feira (29), com a presença de mais de 700 sindicalistas de todo o Brasil, do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, e do Trabalho, Manoel Dias.

Durante a abertura do Seminário, Ricardo Patah, presidente nacional da UGT, lembrou que muitas pessoas "tombaram", perderam suas vidas para que hoje a população brasileira pudesse ir para as ruas reivindicar, assim como aconteceu em 2013 e agora em 2015. Por isso é fundamental a realização deste seminário para aprofundar as discussões sobre o processo de redemocratização do País.

Patah ressaltou também que este é um momento difícil para o conjunto da luta da classe trabalhadora, já que muitas são as tentativas de retirar ou dificultar o acesso a direitos já existentes. O sindicalista destacou, entre os golpes que estão sendo preparados contra a classe trabalhadora, as Medidas Provisórias 664 e 665, editadas no apagar das luzes de 2014 e que mudam as regras de acesso da população a direitos previdenciários. Junta-se a isso a aprovação na Câmara dos Deputados do Projeto de Lei 4330/2004, que precariza a relação trabalhista, ignorando a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e tudo o que ela representa. "A UGT não pode compactuar com a implementação de medidas que retiram direitos que o brasileiro conquistou. O Projeto, como foi aprovado, possibilita que as empresas terceirizem todos os trabalhadores do seu quadro, inclusive os que exercem atividade fim. Defendemos um Projeto que regulamente a situação dos 12 milhões de trabalhadores terceirizados do País, garantindo direitos e conquistas", explica o dirigente.

Estão presentes no Seminário dirigentes das UGTs de todos os estados brasileiros, de sindicatos que representam as mais diversas categorias profissionais, além de militantes do movimento sindical e parlamentares. Em seu discurso, o ministro Gilberto Kassab ressaltou a importância da Central realizar este evento justamente na semana em que se comemora o Dia do Trabalhador. "Ao realizar um evento para refletir sobre a luta sindical, a UGT consegue despertar a necessidade de ficarmos atentos para assegurar a ampliação de direitos, com união e solidariedade", conclui o ministro Kassab.

Já o ministro do Trabalho, Manoel Dias, falando sobre o Projeto 4330, assegurou que tem ampla e total confiança que o Senado irá apresentar alternativas que garantam os direitos dos trabalhadores assegurados pela CLT.

Fonte: UGT

 

Notícias Relacionadas

Comando Nacional dos Bancários entregará minuta de reivindicações à Fenaban no dia 18

No mesmo dia, trabalhadores do BB e da Caixa farão a entrega das minutas específicas de cada banco O Comando Nacional dos Bancários entregará à Federação Nacional do Bancos (Fenaban), na próxima terça-feira (18), a minuta de reivindicações que servirá de base à Campanha Nacional de 2024, para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho […]

Leia mais

Bancários aprovam minuta de reivindicações da Campanha Nacional 2024

Documento, que servirá de base à renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, será entregue à Fenaban no próximo dia 18 Bancárias e bancários, de todo o Brasil, aprovaram, em assembleias realizadas nesta quinta-feira (13), a minuta de reivindicações que servirá de base à Campanha Nacional de 2024, para a renovação da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Contraf-CUT pede informações à Caixa sobre PDV

Objetivo é garantir a transparência do processo e amenizar ansiedade dos trabalhadores A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou, nesta terça-feira (11), um ofício à Caixa Econômica Federal solicitando informações sobre o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) do banco. No ofício, a Contraf-CUT observa que “o prazo de adesão” ao PDV “se […]

Leia mais

Sindicatos filiados