Sétimo dia de Greve na Baixada Santista

10.10.2020

Greve continua forte nesta terça-feira, 5 de outubro de 2010, com mais de 95% de paralisação, inclusive em agências do Bradesco e em todas as outras de bancos privados e públicos na Baixada Santista. O que significa que quase a totalidade das 250 agências e postos de atendimento foram paralisados e mais de 3.400 bancários […]

Greve continua forte nesta terça-feira, 5 de outubro de 2010, com mais de 95% de paralisação, inclusive em agências do Bradesco e em todas as outras de bancos privados e públicos na Baixada Santista.
O que significa que quase a totalidade das 250 agências e postos de atendimento foram paralisados e mais de 3.400 bancários cruzaram os braços de um total de 3.800 na Baixada Santista. A diretoria do Sindicato dos Bancários de Santos e Região convoca todos os bancários da região, nesta quarta-feira, para intensificar a GREVE e participar de assembleia para determinar os rumos da greve, a partir das 16h30, no Sindicato, na Av. Washington Luiz, 140, em Santos.
 
 “Os banqueiros continuam intransigentes e dizendo não a todas as reivindicações como fizeram nas 5 negociações travadas com a categoria bancária. Os bancos faturam dezenas de bilhões todos os anos com empréstimos, juros altos, cobrança de tarifas absurdas dos clientes, cobrança de juros extorsivos por títulos da dívida pública do governo federal (o que gera um escoamento anual de cerca de 36% do Produto Interno Bruto (PIB) para seus cofres e em contrapartida oferecem mau atendimento, desemprego, salário de fome de R$ 935,00 líquidos, más condições de trabalho, assédio moral para vender produtos contra a vontade do cliente e outras aberrações”, afirma Ricardo Saraiva Big, presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região.
 
A greve nacional abrange todos os 26 Estados e no Distrito Federal. Os banqueiros oferecem míseros 4,29% de reajuste (que apenas repõe a inflação) contra as reivindicações dos bancários de 11% de reajuste, valorização dos pisos, PLR maior, combate ao assédio moral, fim das metas, proteção ao emprego, mais contratações, igualdade de oportunidades, segurança contra assaltos e sequestros e fim da precarização via correspondentes bancários, entre outros pontos.

Gustavo Mesquita – AI Seeb Santos

 

 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados