Sindicato de Franca participa de reunião com o Banco do Brasil

27.03.2015

Foi realizada nesta quarta-feira (25) reunião entre a CONTEC e o Banco do Brasil para discussão de vários assuntos de interesse dos funcionários. O encontro aconteceu na sala da ONU do Edifício Sede III, em Brasília/DF. No início da reunião, os representantes do Banco do Brasil fizeram um balanço dos compromissos firmados no Acordo Coletivo […]


Foi realizada nesta quarta-feira (25) reunião entre a CONTEC e o Banco do Brasil para discussão de vários assuntos de interesse dos funcionários. O encontro aconteceu na sala da ONU do Edifício Sede III, em Brasília/DF.

No início da reunião, os representantes do Banco do Brasil fizeram um balanço dos compromissos firmados no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) assinado no ano passado, destacando que a empresa vem cumprindo o acordado na mesa de negociação.

Após, a CONTEC apontou o descontentamento das funcionárias do banco com a obrigatoriedade se realizar a pausa de quinze minutos para descanso antes da realização de horas-extras, pois além de aumentar a permanência nas dependências do banco, há também o fato do BB descontar este período da jornada suplementar. Os representantes dos funcionários cobraram uma solução para a questão.

O Banco do Brasil reconhece o problema, mas alegou que está cumprindo a legislação, afirmando que a área de tecnologia está trabalhando para incluir este intervalo no ponto eletrônico.

Agências com horário estendido

Foi apresentado aos dirigentes da CONTEC o projeto de agências com horário estendido. Após intensa pesquisa nas agências e com os clientes, visitas nos locais de trabalho e workshops, o banco traçou um perfil dos seus clientes e dos locais de atendimento.
Segundo a empresa, as salas de auto atendimento caracterizam-se como locais de grandes oportunidades de vendas de produtos, porém a efetiva comercialização dos mesmos nestas áreas são muito baixas. Por outro lado, 40% dos clientes das carteiras Estilo e Personalizado não compareceram em suas agências de relacionamento nos últimos seis meses e quando procuram atendimento na rede, o fazem em agência diferente da qual mantém sua conta. Outros dados apresentados pelo BB dão conta de que 92% das transações dos clientes foram feitas fora das agências, ou seja, através da internet, caixas eletrônicos, telefone, aplicativos, etc.

Com base nesses dados e diante do grande potencial de crescimento das carteiras Estilo e Personalizado e também dos segmentos varejo e menor renda, será implantado no início de abril, em Joinvile/SC, um escritório de negócios com vários canais de atendimento não presenciais como email, chat, videochat, telefone e msg. Estes escritórios funcionarão das 07h00 às 24h00, sendo que os funcionários que ali vão trabalhar cumprirão jornada de trabalho igual ao da sua agência de origem e correspondente à sua função. Inicialmente, também farão parte deste projeto-piloto seis agências estilo espalhadas pelo país, com a diferença de que o escritório de negócios funcionará dentro da própria unidade.

A CONTEC destacou ao final da apresentação que as entidades acompanharão atentamente a implantação do projeto, atentando principalmente para o cumprimento da jornada de trabalho e da legislação vigente. Em breve a cidade de Ribeirão Preto também fará parte do projeto-piloto.
Comissão de Conciliação Prévia – CCP.

O Banco do Brasil fez algumas ponderações sobre o modelo atual da CCP e apresentou um breve histórico das conciliações realizadas nos últimos anos.
Sobre as CCP’s, os dirigentes sindicais apontaram várias questões que precisam ser melhoradas na conciliação. Foi ressaltado que os funcionários da ativa só podem ingressas na CCP para reivindicar as 7ª e 8ª horas das funções comissionadas que sofreram alteração na jornada de trabalho no novo plano de funções, abrangendo na grande maioria os assistentes A UN. A reivindicação é de que qualquer trabalhador da ativa possa pleitear direitos na CCP a qualquer tempo e não somente quando se aposenta.

Outra reclamação foi de que o atual modelo não permite negociações, ou seja, o valor da proposta já vem “fechado”. O ideal seria a abertura de negociações sobre o valor entre o BB e os Sindicatos. A falta de informações que levam o banco, em alguns casos, a não apresentar proposta ao funcionário na CCP também foi alvo de reclamações.
Segundo os representantes do Banco do Brasil, os valores que serão apresentados nos novos acordos da CCP serão melhorados.

Certificação de gestores e ascensão profissional

Foi apresentado também na reunião o novo modelo de certificação de gestores e ascensão profissional. De acordo com o banco, o programa foi construído baseado em sugestões de gestores, contemplando principalmente as premissas de remuneração baseada no nível da agência e utilização do Radar do Gestor.

As avaliações serão baseadas nos últimos dez semestres, com pesos diferenciados para cada período, além de bônus complexidade e bônus experiência. Dados recentes mostram que 95% dos gestores estão aptos a concorrerem à ascensão e 5% vão se movimentar para agência compatível com a sua certificação.

Para que os gestores possam acompanhar seu desempenho, o banco divulgou uma rodada dos níveis de certificações em novembro do ano passado. Mais duas rodadas acontecerão em abril e outubro. A partir de abril de 2016 as certificações começam a valer em definitivo.
Foi apresentado também o Programa Trainee BB, que atinge funcionários com até cinco anos de banco e voltado para funções estratégicas. O programa tem periodicidade anual e são feitos três processos por unidade estratégica.

CASSI

A CONTEC ressaltou a importância de se agendar um novo encontro para discutir especificamente a CASSI, pois é necessário encontrar uma solução para o déficit que o Plano Associados apresenta, além de vários outros assuntos, como descredenciamentos, restrições de procedimentos, suspensões de atendimentos, etc.

Foi reivindicado ao banco o acesso dos dirigentes sindicais às IN’s, principalmente as citadas nos Acordos Coletivos. Os representantes do BB se prontificaram a encaminhá-las para a CONTEC. Problemas como ausência de portas giratórias e alterações no período de férias de forma unilateral também foram apresentados ao banco e cobradas soluções para estes encaminhamentos.

Finalizando, novamente foi informado ao banco que ainda persistem situações de funcionários trabalharem com a matrícula de outro colega. Os representantes do BB foram taxativos ao afirmarem que este situação é passível de demissão e que tal prática não é tolerada pela instituição. As denúncias que forem encaminhadas ao banco será rigorosamente apuradas.

O diretor do Sindicato Rogério Marques participou da reunião com o Banco do Brasil.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Franca e Região
 

Notícias Relacionadas

Campanha Nacional: Combate ao Assédio Moral volta a ser negociado com Federação Nacional dos Bancos (Fenaban)

Bancos negam que causa de adoecimento está relacionada à cobrança de metas O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com a Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (15), para mais uma negociação. O combate ao assédio moral foi novamente tema do debate. Apesar de mais uma vez os bancos negarem que a causa do adoecimento […]

Leia mais

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Sindicatos filiados