Sindicato de Marília protesta contra autoritarismo do Banco do Brasil e distribui carta aberta no centro da cidade

30.04.2013

Diretores do Sindicato dos Bancários de Marília e Região protestaram entre o final da manhã e o começo da tarde desta terça-feira, dia 30, véspera do Dia do Trabalho, contra medidas autoritárias da diretoria nacional do Banco do Brasil. A manifestação aconteceu em frente as duas principais agências da instituição em Marília e também na […]

Diretores do Sindicato dos Bancários de Marília e Região protestaram entre o final da manhã e o começo da tarde desta terça-feira, dia 30, véspera do Dia do Trabalho, contra medidas autoritárias da diretoria nacional do Banco do Brasil. A manifestação aconteceu em frente as duas principais agências da instituição em Marília e também na agência central de Ourinhos. Sindicalistas distribuíram carta aberta à população detalhando os motivos da manifestação. “O banco abriu mais de três milhões de contas e, por incrível que pareça, suspendeu as convocações de concursados. Com isso, o assédio moral e a pressão pelo cumprimento de metas abusivas vêm se tornando uma prática lamentavelmente comum no ambiente de trabalho dos funcionários do Banco do Brasil. Não podemos aceitar pacificamente uma situação desta. É por isso que em Marília e na subsede de Ourinhos o Sindicato está denunciando o autoritarismo por intermédio deste protesto”, denunciou o presidente do Sindicato dos Bancários, Edilson Julian.

Outro problema revelado pelos sindicalistas está associado ao plano de carreira dos funcionários do Banco do Brasil. A nova estruturação da categoria dentro da instituição bancária está proporcionando uma redução salarial da ordem de 16,25%. “Notamos, ainda, a crescente terceirização das agências do Banco do Brasil através dos correspondentes bancários. Os correspondentes bancários não garantem o mesmo padrão de atendimento e segurança que uma agência bancária possui, por isto estamos denunciando também este comportamento do banco que fere os direitos dos bancários”.

O protesto promovido na véspera do Dia do Trabalho serviu para a reflexão da data, segundo analisou o presidente Edilson Julian. “A categoria bancária é reconhecida por sua garra, por sua disposição para a luta e isto é comprovado anualmente, já que constantemente partimos para a greve quando os donos dos bancos, os banqueiros, se comportam indiferentes nas rodadas de negociação”, apontou. Mesmo com o protesto desta terça-feira, com a distribuição de mais de cinco mil cartas, as agências do Banco do Brasil de Marília e Ourinhos mantiveram o funcionamento normal.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Marília

> Veja mais notícias do Banco do Brasil, aqui
 

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados