Sindicato de Marília protesta contra autoritarismo do Banco do Brasil e distribui carta aberta no centro da cidade

30.04.2013

Diretores do Sindicato dos Bancários de Marília e Região protestaram entre o final da manhã e o começo da tarde desta terça-feira, dia 30, véspera do Dia do Trabalho, contra medidas autoritárias da diretoria nacional do Banco do Brasil. A manifestação aconteceu em frente as duas principais agências da instituição em Marília e também na […]

Diretores do Sindicato dos Bancários de Marília e Região protestaram entre o final da manhã e o começo da tarde desta terça-feira, dia 30, véspera do Dia do Trabalho, contra medidas autoritárias da diretoria nacional do Banco do Brasil. A manifestação aconteceu em frente as duas principais agências da instituição em Marília e também na agência central de Ourinhos. Sindicalistas distribuíram carta aberta à população detalhando os motivos da manifestação. “O banco abriu mais de três milhões de contas e, por incrível que pareça, suspendeu as convocações de concursados. Com isso, o assédio moral e a pressão pelo cumprimento de metas abusivas vêm se tornando uma prática lamentavelmente comum no ambiente de trabalho dos funcionários do Banco do Brasil. Não podemos aceitar pacificamente uma situação desta. É por isso que em Marília e na subsede de Ourinhos o Sindicato está denunciando o autoritarismo por intermédio deste protesto”, denunciou o presidente do Sindicato dos Bancários, Edilson Julian.

Outro problema revelado pelos sindicalistas está associado ao plano de carreira dos funcionários do Banco do Brasil. A nova estruturação da categoria dentro da instituição bancária está proporcionando uma redução salarial da ordem de 16,25%. “Notamos, ainda, a crescente terceirização das agências do Banco do Brasil através dos correspondentes bancários. Os correspondentes bancários não garantem o mesmo padrão de atendimento e segurança que uma agência bancária possui, por isto estamos denunciando também este comportamento do banco que fere os direitos dos bancários”.

O protesto promovido na véspera do Dia do Trabalho serviu para a reflexão da data, segundo analisou o presidente Edilson Julian. “A categoria bancária é reconhecida por sua garra, por sua disposição para a luta e isto é comprovado anualmente, já que constantemente partimos para a greve quando os donos dos bancos, os banqueiros, se comportam indiferentes nas rodadas de negociação”, apontou. Mesmo com o protesto desta terça-feira, com a distribuição de mais de cinco mil cartas, as agências do Banco do Brasil de Marília e Ourinhos mantiveram o funcionamento normal.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Marília

> Veja mais notícias do Banco do Brasil, aqui
 

Notícias Relacionadas

Eleições Economus – Ainda dá tempo de votar!

Passamos da metade do período do pleito, que vai eleger dois membros ao conselho deliberativo e um membro ao conselho fiscal do Economus. Até esta sexta-feira (19), 28% dos eleitores haviam exercido o direito ao voto. A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB SP/MS) e seus sindicatos […]

Leia mais

Banco do Brasil aprova atualização da Tabela PIP para beneficiar trabalhadores do Previ Futuro

Mudança na Pontuação Individual do Participante permite aumento na contribuição adicional e soma mais recursos para a aposentadoria, atendendo a antiga reivindicação dos funcionários O Banco do Brasil aprovou as mudanças na Tabela PIP (Pontuação Individual do Participante), uma reivindicação antiga dos trabalhadores, que permitirá aumentar a contribuição adicional para a aposentadoria. O anúncio foi […]

Leia mais

Eleições da Funcef: votação segue até sexta-feira (19)

Participantes da ativa e assistidos dos planos de previdência podem votar até sexta-feira (19), mas a orientação é não deixar para a última hora Teve início nesta terça-feira (16), a votação para as Eleições Funcef. Participantes dos planos de previdência da Funcef podem votar para definir quem vai ocupar a diretoria de Administração e Controladoria, […]

Leia mais

Sindicatos filiados