Sindicato dos Bancários protesta contra demissões do Itaú em Marília

05.05.2014

O Sindicato dos Bancários de Marília e Região, com apoio do Sindicato dos Vigilantes de Bauru, Marília e Região, promoveu na manhã de sexta-feira, dia 2 de maio, protesto em frente a uma das duas agências do Itaú localizadas na avenida Sampaio Vidal, centro de Marília. O motivo foi a demissão de três vigilantes que […]

O Sindicato dos Bancários de Marília e Região, com apoio do Sindicato dos Vigilantes de Bauru, Marília e Região, promoveu na manhã de sexta-feira, dia 2 de maio, protesto em frente a uma das duas agências do Itaú localizadas na avenida Sampaio Vidal, centro de Marília.

O motivo foi a demissão de três vigilantes que trabalhavam na segurança. Os profissionais foram desligados após a agência passar a ser considerada espaço de negócios, o que gerou a retirada da porta-giratória. “Não somos contra a transformação de agência convencional para a agência de negócios, somos contra a insegurança, que está afetando tanto os trabalhadores bancários, quanto os clientes do banco”, sintetizou o presidente do Sindicato dos Bancários, Geofredo Borges da Rocha.

O protesto retardou a abertura da agência em uma hora e teve respaldo dos clientes. Muitos, inclusive, se manifestaram favoravelmente ao ato, como o casal de aposentados Eva e Anízio de Carvalho. A aposentada contou que, por falta de segurança, chegou a ser vítima de assalto logo após sacar a aposentadoria. “Se não fosse um amigo da família, naquele mês, nem os remédios do meu marido a gente tinha conseguido comprar”, relatou. A aposentada Eva foi uma das pessoas que utilizaram o microfone do manifesto para apoiar o movimento. Segundo informou o diretor de Marília do Sindicato dos Vigilantes, Edson Ricardo Carlos, sem a porta-giratória, a agência de negócios do Itaú na avenida Sampaio Vidal acabou retirando três vigilantes do mercado de trabalho. “Foram fechados três postos de trabalho. Nesta agência, quando havia a porta-giratória, trabalhavam três vigias: dois que cumpriam a jornada e um que fazia a cobertura no almoço. Mas, agora ninguém mais trabalha”, disse.

A ausência da porta-giratória fere a legislação municipal, tanto que o protesto foi acompanhado por um vereador José Bassiga, o Goda. “Já levamos o caso para a tribuna da Câmara de Marília e agora estamos passando para o Poder Executivo, para que a secretaria responsável tome as providências”, disse.

Denúncia

Um dos vigilantes que perderam o emprego na agência, Alexandre Delábio Campoy, participou do protesto e ainda revelou que os bancários e clientes relataram que estão se sentindo bem inseguros e com muito receio de frequentar o local. Recentemente Marília foi vítima de assalto a banco. O crime ocorreu num banco da zona Sul onde havia porta-giratória e vigias.

Ramon Franco – Sindicato dos Bancários de Marília 
 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados