Sindicatos cobram do BB garantias para funcionários

18.07.2013

Os sindicatos se reuniram com o Banco do Brasil nesta terça-feira (16), em Brasília, para discutir a reestruturação da Dirao (Diretoria de Reestruturação de Ativos Operacionais), a nova GDP (Gestão de Desempenho Profissional), faltas de greve, PSO, SACR (remoção), saúde e previdência. Para o secretário-geral da Federação dos Bancários de SP e MS, Jeferson Boava, […]

Os sindicatos se reuniram com o Banco do Brasil nesta terça-feira (16), em Brasília, para discutir a reestruturação da Dirao (Diretoria de Reestruturação de Ativos Operacionais), a nova GDP (Gestão de Desempenho Profissional), faltas de greve, PSO, SACR (remoção), saúde e previdência. Para o secretário-geral da Federação dos Bancários de SP e MS, Jeferson Boava, que participou da reunião, “os sindicatos apresentaram suas propostas e o Banco do Brasil esclareceu várias pendências. No que se refere ao regulamento do novo FEAS, aprovado pelo Conselho Deliberativo do Economus no início deste mês de julho, o BB assumiu compromisso em verificar. Mas não deu nenhuma resposta ao pedido da Federação sobre a prorrogação do prazo de adesão ao PDA (Plano de Desligamento de Aposentáveis), encerrado no último dia 12”.

Federação reivindica ao BB prorrogação do prazo de adesão ao PDA 

Dirao: propostas dos sindicatos

– Aumentar o número de funcionários na Dirao, em vez de aumentar a terceirização. O BB alega que a reestruturação na diretoria de ativos de crédito ocorre em função do aumento da quantidade de operações, de 500 para 1.300 por mês. Mas isso não justifica terceirizar atividade-fim.

– Garantir prioridade para os funcionários da própria estrutura abrangida na reestruturação visando preenchimento de vagas na nova Dirao/Gecor.

– Garantir a realocação daqueles bancários que perderem a função em condições similares de remuneração no próprio município/região.

– Realocar funcionários que não permanecerem na nova estrutura para locais de origem familiar ou locais anteriores à mudança para a rede Dirao.

– Garantir aos comissionados de funções extintas de 8h (novas de 6h no plano de funções), que não quiseram reduzir os salários, migrarem para a nova estrutura Dirao com a função de 8h. Para o BB, os funcionários poderão manter sua opção de 8h para outras áreas ou na própria estrutura da Dirao. Para tanto, os funcionários terão que solicitar a manutenção de 8h para a Gepes de sua região.

Outras questões

– Garantida a hora extra para os optantes às funções de 6h até 2014, mesmo com mudança de prefixo nas reestruturações.

– O funcionário optante em permanecer na Dirao/Gecor com a função de 8h ou que tenha se deslocado para outra dependência por ser comissionado de 8h, poderá pedir correção caso as Gepes e/ou Dipes nomeie em função de 6h, de forma equivocada.

– Após o processo de realocação, não haverá trava de dois anos no caso de lateralidade. No caso de promoção, inicia-se uma nova contagem.

– O BB informou que a reestruturação não tem prazo para finalizar.

Nova GDP

O BB apresentou, através da Dipes, o novo sistema de avaliação dos funcionários – a nova GDP. A mudança é a inclusão do cumprimento de metas individuais (resultados) na composição das notas da GDP.

O novo sistema permitirá que os gestores definam por conta própria e de forma subjetiva, metas diferentes para funcionários de suas dependências. O que pode acarretar distorções e aumentar a prática de assédio moral nos locais de trabalho.

Avaliação: A GDP era um sistema interno com caráter formativo, pois avaliava os funcionários através de competências esperadas e sugeria melhorias através de retornos e avaliações periódicas (feedbacks). A inclusão de resultados de metas na GDP descaracteriza completamente o seu objetivo inicial. E mais: o Novo Sinergia, somado à GDP baseada em cumprimento de metas individuais, destrói a lógica do trabalho em equipe e aumenta a disputa interna nos locais de trabalho.

Outros pontos

– Faltas de greve (código 308): Os sindicatos cobraram novamente o estorno. O BB não tem ainda uma resposta.

– IN 383 (controle disciplinar): o BB ainda avalia pedido de mudanças.

– PSO: Sindicatos reivindicaram mesa específica. Sem resposta.

– SACR (Remoção automática, Cláusula 48ª, §1º do ACT/BB): os sindicatos cobraram funcionamento em todas as dependências.

Saúde e Previdência

– Economus: Os sindicatos reivindicaram a interferência da diretoria responsável junto ao Economus, que não atende os pleitos apresentados e sequer responde os ofícios encaminhados.

– Cassi e Previ para todos: Os sindicatos reivindicaram uma mesa para solucionar a discriminação dos funcionários oriundos de bancos incorporados.

Fonte: Contraf

Notícias Relacionadas

Bancários querem mais contratações, fim das demissões e da precarização

Comando Nacional propõe maior equilíbrio entre dias trabalhados, com momentos de descanso e lazer, com redução da jornada para quatro dias; proposta pode aumentar produtividade e satisfação com o emprego O Comando Nacional dos Bancários se reuniu na manhã desta segunda-feira (27) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na segunda reunião de negociação da […]

Leia mais

Bancários negociam com Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (27)

Temas Emprego e Terceirização são os primeiros temas a serem discutidos A Campanha Nacional do Bancário, iniciada na última semana, segue hoje (27) com mais uma negociação. Federações, associações e representação sindical negociam com a Federação Nacional dos Bancos as pautas “Emprego e Terceirização”. Os temas foram definidos pelo Comando Nacional dos Bancários na última […]

Leia mais

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Sindicatos filiados