Sindicatos e Fenaban negociam acordo sobre banco de horas

28.04.2020

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP MS), participou hoje, 28/04, junto com o Comando Nacional dos Bancários (CN) e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de mais uma videoconferência. Desta vez, o encontro foi para discutir a construção de um acordo sobre […]

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP MS), participou hoje, 28/04, junto com o Comando Nacional dos Bancários (CN) e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de mais uma videoconferência. Desta vez, o encontro foi para discutir a construção de um acordo sobre banco de horas para toda a categoria. A Fenaban se comprometeu a apresentar sua proposta para avaliação do Comando nos próximos dias.

O acordo objetiva estabelecer regras para compensar as horas acumuladas pelos bancários afastados do trabalho em função da pandemia, mas que não estão em férias e nem exercendo suas funções em casa (home office).

Manter CCT e emprego

O prazo de vigência da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), assinada em 2018, termina em setembro deste ano (data-base). Diante do atual quadro de pandemia, de distanciamento social (quarentena), o Comando reivindicou à Fenaban a aplicação da ultratividade da CCT; ou seja, a prorrogação automática da atual Convenção Coletiva até à assinatura de novo instrumento jurídico.

O Comando reivindicou, ainda, a discussão do trabalho bancário pós pandemia; entre
outros temas, home office e garantia de emprego e salários.

Negociação durante pandemia

Em tempos de COVID-19, os sindicatos e os bancos iniciaram um amplo processo de negociação. A primeira reunião para discutir medidas visando impedir a disseminação da doença nos locais de trabalho aconteceu no dia 12 de março, um dia após a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarar a pandemia do novo coronavírus.

Além da instalação de um comitê de crise, o Comando assegurou a liberação de parte da categoria para trabalhar em casa (home office), com manutenção dos salários e direitos, garantiu a distribuição de máscaras e protetor de acrílico em guichê de atendimento, conseguiu antecipar a vacinação contra a gripe, e os bancos Itaú, Bradesco e Santander assumiram compromisso de não demitir durante a pandemia. Sem falar que o Banco Central (BC) orientou redução do horário de atendimento, após pedido do Comando.

E mais: dado a uniformização dos procedimentos nos locais de trabalho, em todo o país, estabelecida entre os sindicatos e os bancos, o índice de contaminação no meio bancário é baixa, segundo informou a Fenaban durante a reunião de hoje (28 de abril). “O que prova que o processo de negociação é o melhor caminho. Não apenas para garantir direitos, mas também condições de trabalho”, avalia a presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas, Ana Stela, que participou da reunião entre o Comando e a Fenaban.

Notícias Relacionadas

Bancários aprovam acordos de trabalho do Santander

97,18% dos funcionários aprovaram o acordo com o banco Bancários do banco Santander de todo o país aprovaram, nesta quinta-feira (22), com 97,18% dos votos, o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) geral dos funcionários, aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria bancária, o ACT do Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS) e […]

Leia mais

Negociação dos Financiários continua sem avanços

Financeiras apresentam proposta abaixo da expectativa da categoria Representantes dos Financiários e a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi) se reuniram nesta quinta-feira (22) para dar continuidade às negociações da campanha salarial da categoria. A pauta de reivindicações da categoria, com data-base em 1º de junho, foi entregue no dia 15 […]

Leia mais

Bancários do Santander participam de Assembleia nesta quinta-feira (22/9)

Votação acontece em plataforma eletrônica das 8h às 20h Nesta quinta-feira (22), bancários do Santander de todo o país participam de Assembleias para avaliar o Acordo Coletivo de Trabalho, o Acordo Coletivo de Trabalho sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PPRS) e o Termo de Relações Laborais, todos com validade por dois anos. Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados