Terceirização do Banco Santander é reprovada pela categoria em Assembleia Nacional

13.10.2022

Consulta mostra que 98,31% dos trabalhadores são contrários ao processo de terceirização Bancários do Santander participaram na última terça-feira (11), da Assembleia Nacional contra a terceirização do banco. A consulta teve como objetivo registrar a opinião do funcionário quando à aprovação ou reprovação dos processos de terceirização adotados pelo Santander. Nos últimos dois anos, ao […]

Consulta mostra que 98,31% dos trabalhadores são contrários ao processo de terceirização

Bancários do Santander participaram na última terça-feira (11), da Assembleia Nacional contra a terceirização do banco. A consulta teve como objetivo registrar a opinião do funcionário quando à aprovação ou reprovação dos processos de terceirização adotados pelo Santander.

Nos últimos dois anos, ao menos 9 mil trabalhadores deixaram de ser bancários dentro do Grupo Santander do Brasil.

“A pressão é tanta que inúmeros trabalhadores optam por deixar o cargo, outros, no entanto, adoecem ou se submetem às novas regras como a terceirização, que impõe inúmeras perdas de direitos”, diz Patrícia Bassanin, representante da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) na COE Santander.

A votação que ocorreu em todo o país, registrou 98,31% de rejeição quanto ao processo de terceirização, que promove perda de direitos conquistados na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

O movimento sindical alerta trabalhadores quanto à manobra que o banco privado tem feito ao migrar o funcionário para empresas terceirizadas ligadas ao banco. Com isso, funcionários deixam automaticamente de ser bancários e perdem benefícios como jornada de seis horas, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), como definida na CCT, redução no auxílio-creche/babá e representação dos sindicatos dos bancários.

Organização  

Durante as assembleias o bancário também foi questionado se preferem que sua representação sindical continue sendo por meio de sindicatos dos bancários: 97,58% reafirmaram que sim.
Protestos contra a terceirização também foram realizados em agências e unidades administrativas do Santander, na última sexta-feira (7).

Notícias Relacionadas

Dia Mundial de Combate à Aids

O dia 1º de dezembro é o Dia Mundial  de Combate à Aids. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde e é celebrada anualmente desde 1988 no Brasil, um ano após a Assembleia Mundial de Saúde que fixou a data de comemoração. O objetivo da data é conscientizar as pessoas para o problema, acabar […]

Leia mais

Caixa propõe usar GDP na Promoção por Mérito

Na terceira rodada de negociação, Caixa rejeita proposta apresentada pelos representantes dos empregados e insiste na utilização da GDP O Grupo de Trabalho (GT) sobre Promoção por Mérito na Caixa Federal se reuniu ontem (29) com representantes do banco para a terceira reunião sobre o tema. A primeira ocorreu no último dia 10 e a […]

Leia mais

Vitória da Categoria: PL 1043 é retirado da pauta de votação

Projeto de Lei que autoriza a abertura das agências e o trabalho bancário aos sábados, domingos e feriados foi retirado da pauta de votação na CDC da Câmara dos Deputados; pressão da categoria foi fundamental O Projeto de Lei 1.043/2019, que autoriza a abertura de agências e o trabalho bancário aos sábados domingos e feriados foi […]

Leia mais

Sindicatos filiados