Terceirização do Banco Santander é reprovada pela categoria em Assembleia Nacional

13.10.2022

Consulta mostra que 98,31% dos trabalhadores são contrários ao processo de terceirização Bancários do Santander participaram na última terça-feira (11), da Assembleia Nacional contra a terceirização do banco. A consulta teve como objetivo registrar a opinião do funcionário quando à aprovação ou reprovação dos processos de terceirização adotados pelo Santander. Nos últimos dois anos, ao […]

Consulta mostra que 98,31% dos trabalhadores são contrários ao processo de terceirização

Bancários do Santander participaram na última terça-feira (11), da Assembleia Nacional contra a terceirização do banco. A consulta teve como objetivo registrar a opinião do funcionário quando à aprovação ou reprovação dos processos de terceirização adotados pelo Santander.

Nos últimos dois anos, ao menos 9 mil trabalhadores deixaram de ser bancários dentro do Grupo Santander do Brasil.

“A pressão é tanta que inúmeros trabalhadores optam por deixar o cargo, outros, no entanto, adoecem ou se submetem às novas regras como a terceirização, que impõe inúmeras perdas de direitos”, diz Patrícia Bassanin, representante da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) na COE Santander.

A votação que ocorreu em todo o país, registrou 98,31% de rejeição quanto ao processo de terceirização, que promove perda de direitos conquistados na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

O movimento sindical alerta trabalhadores quanto à manobra que o banco privado tem feito ao migrar o funcionário para empresas terceirizadas ligadas ao banco. Com isso, funcionários deixam automaticamente de ser bancários e perdem benefícios como jornada de seis horas, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), como definida na CCT, redução no auxílio-creche/babá e representação dos sindicatos dos bancários.

Organização  

Durante as assembleias o bancário também foi questionado se preferem que sua representação sindical continue sendo por meio de sindicatos dos bancários: 97,58% reafirmaram que sim.
Protestos contra a terceirização também foram realizados em agências e unidades administrativas do Santander, na última sexta-feira (7).

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados